Pesquisar
Close this search box.

Como vender roupas pela internet? 18 dicas para começar em 2024

Se você deseja vender roupas online, escolha bem o nicho de mercado, analise os concorrentes, crie um plano de negócios e encontre fornecedores eficientes. Em seguida considere a escolha de uma plataforma de e-commerce e monte sua loja virtual de roupas. Invista em boas fotos, nas descrições e em produtos de qualidade. Crie promoções e preste um atendiento diferenciado. Assim você terá uma marca forte. Invista também nas redes socias e aposte nas Liveshops. Assim você vai conseguir interagir e conquistar cada vez mais seus clientes.

Principais tópicos

O e-commerce abriu a porta para milhões de brasileiros que possuem uma veia empreendedora e buscam fazer seu próprio sucesso.

Com estratégia, informação e vontade de vencer, é possível abrir um negócio, mesmo com baixo investimento.

Um exemplo disso é vender roupas pela internet.

Se você leva jeito para o comércio e tem um gosto alinhado com o público que quer atingir, não demora para transformar um sonho em realidade.

Neste guia completo sobre o assunto, vamos apresentar as razões pelas quais esse mercado é cheio de oportunidades.

E te ensinar as melhores práticas de como vender roupas online.

Vamos começar a construir o seu futuro?

Por que vender roupas pela internet

Muitas pessoas quando analisam o mercado podem hesitar ao ver a quantidade de pessoas investindo em vender roupas pela internet.

Porém, precisamos olhar isso sob outro olhar: por que toda essa competição no setor?

A resposta é simples: porque e-commerce de vestuário é um investimento seguro e de grande retorno do investimento.

Na lista a seguir, vamos apresentar os principais motivos para montar uma loja virtual de roupas.

Veja o panorama atual do mercado e por que você também tem tudo para se destacar nele.

Investimento inicial baixo

Dependendo das suas escolhas de mix de produtos e público-alvo, você não precisa de muito dinheiro para começar um e-commerce de sucesso.

Ao utilizar marketplaces, por exemplo — falaremos sobre eles nas dicas — você elimina boa parte dos custos de construção da loja virtual.

Além de contar com ferramentas de visibilidade que ajudam na divulgação da loja.

Existem também opções em conta para criação de lojas únicas que ainda dão vantagens para quem quer se destacar.

Portanto, seu capital inicial será quase todo investido no próprio produto a ser revendido — investimento que vai gerar retorno direto quando o negócio abrir.

Outros custos estão presentes, claro: serviços de Design e Marketing, anúncios pagos em redes sociais, planos adicionais de funcionalidades em canais digitais, entre outros.

Mas nenhum desses é obrigatório para começar o seu negócio, apenas dão oportunidades a mais para crescer de cara.

O foco em criar um estoque inicial atraente e diverso já é suficiente para começar a captar os primeiros clientes.

Mercado em constante crescimento

Quando empreendedores decidem fazer a própria empresa, sua maior preocupação é sobre o cenário de mercado: o presente.

E, principalmente, as projeções de futuro para o setor.

Se seu sonho é vender roupas na internet, não precisa se preocupar tanto com as flutuações do mercado, já que este é um setor estável, com demanda constante e sempre em crescimento.

Para você ter uma ideia melhor dessa tendência, basta analisar o cenário recente da área: em 2022, o faturamento total para e-commerce de moda cresceu 24% em relação a 2021.

E só no primeiro semestre de 2023, já havia crescido mais 5%, mesmo comparando a um ano anterior tão bom.

Afinal, vestuário é um setor essencial, em que a demanda nunca termina e com dinâmica de constante renovação.

Além disso, o hábito de consumo digital está transformando a área, criando ainda mais oportunidades para o futuro.

Falaremos disso a seguir.

Grande interesse do público

Se o mercado de moda online está sempre crescendo, isso acontece porque os brasileiros estão comprando mais roupas na internet.

Os números deixam isso claro.

Embora a preferência ainda seja para comprar no shopping, muitas pessoas citam marketplaces e lojas virtuais como suas preferidas para adquirir novos produtos.

Citando preços melhores e conveniência como principais chamarizes.

E essas compras possuem ticket médio muito interessante para quem quer viver do próprio negócio. Boa parte das compras varia entre R$100 e R$500.

Em uma pesquisa geral sobre e-commerce, o setor de moda ficou em segundo lugar entre artigos mais comprados online no Brasil, perdendo apenas para os eletrônicos.

Com as novas gerações ganhando poder de compra, esses números tendem apenas a subir.

Possibilidade de atuar em nichos

Uma característica muito importante para quem quer investir em negócio de moda online é que você não tem que necessariamente disputar espaço com todo mundo.

Seja a empresa grande ou pequena, há espaço e variedade o suficiente para criar uma comunidade única em volta de sua marca.

Por exemplo: uma loja virtual de artigos para bebês, além de já fazer parte de um nicho, pode ainda focar em pais descolados, que querem vestir seus filhos de maneira diferenciada.

Com o mix e a imagem certa, sua marca se torna memorável nesse perfil de público.

E o mais interessante disso é que você não necessariamente precisa investir mais para focar em segmentos de mercado.

Basta que sua comunicação seja eficiente: marca, conteúdo e interações sociais que façam seu público-alvo se identificar com você.

Pensando assim, podemos dizer que as oportunidades de mercado no setor são virtualmente infinitas.

Você pode construir o seu mercado sem competir diretamente com a maioria.

Alto faturamento

O seu faturamento esperado para loja virtual de roupas varia muito conforme o quanto você pode investir.

Afinal, o ticket médio e a quantidade de estoque disponível determinam seu potencial de vendas.

Mas uma coisa em comum à maioria dos empreendimentos em moda é uma margem de lucro elevada para o mercado, que pode chegar a 50%.

Se você pensa em começar o seu negócio com um capital inicial baixo, essa margem é muito importante para crescer rápido.

Com ela, você pode reinvestir em mais estoque e em divulgação, escalando sua empresa desde o começo.

Fornecedores mais acessíveis

Outra vantagem para quem está começando é a facilidade para encontrar bons fornecedores no setor de moda.

O próprio tamanho do mercado contribui para maior oferta, apresentando preços competitivos e margem maior de negociação.

Quem está começando, por exemplo, pode utilizar fornecedores de atacado no Brasil e no exterior.

O valor final percebido de seus produtos vai depender da percepção da marca no mercado e a qualidade da sua curadoria, além da apresentação do mix em uma loja virtual — falaremos sobre isso em nossas dicas.

Você também pode ir por uma linha mais alternativa, diretamente na confecção de produtos únicos. Serviços que vão desde a produção direta como customização de peças.

Ou seja, muitos caminhos para facilitar seu suprimento.

Como vender roupas pela internet em 18 passos simples

Se você se interessou pelo potencial de vender roupas online como um negócio próprio, precisa entender um ponto crucial.

Embora seja um setor de pouca barreira de entrada, preparar-se faz toda a diferença em onde você pode chegar.

Que tal, então, elaborar uma estratégia que engloba todo o necessário para uma loja virtual de moda? Veja 17 passos para aumentar suas chances de sucesso!

1. Escolha um nicho de produto dentro do setor

Como citamos anteriormente, a escolha do nicho pode fazer toda a diferença na jornada para vender roupas online, sendo considerado até mesmo um atalho para conquistar público rápido.

O que a abordagem de nicho faz é reduzir o escopo da sua estratégia para que você tenha mais foco na qualidade do serviço e identificação com o público.

Uma base para ações de marketing e mix de produtos que gerem uma conexão mais pessoal — levando a uma base de clientes leal e engajada.

Ao mergulhar profundamente em um segmento específico do mercado de roupas, você se distancia da concorrência em mensagem e pode até virar referência no setor.

2. Estude o público-alvo escolhido

Toda e qualquer decisão de mercado deve ter sempre o seu público-alvo como foco.

É por isso que destacamos tanto o empenho em analisar e entender o perfil de comprador dentro de seu nicho.

O mais importante é ir além de dados demográficos: explore também os hábitos de compra, rotina, expectativas, preferências de estilo e comportamentos online.

Ferramentas como pesquisas de mercado, análises de redes sociais e feedback dos clientes podem fornecer insights valiosos.

Pode parecer complicado agora, mas a maioria dessas soluções são grátis e intuitivas, presentes na redes e em serviços como o Google Analytics.

Utilize essas informações para personalizar suas estratégias de marketing e catálogo de produtos, alinhando-se melhor às expectativas do seu público.

Vamos dar um exemplo: suponhamos que sua loja de roupas online se especialize em moda esportiva para entusiastas de corrida.

Seu público-alvo pode incluir jovens adultos entre 25 e 35 anos, que residem em áreas urbanas com uma vida ativa, mas talvez não tenham muito tempo para se dedicar ao esporte e precisem ir direto do trabalho para um parque ou academia.

Isso implica em um perfil de comprador que valoriza peças de desempenho, mas também busca estilo que se destaque em situações sociais.

É esse tipo de detalhe que permite você se conectar de verdade com o público. Entregar não apenas o produto, mas uma mensagem e um estilo de vida.

3. Faça uma análise de concorrentes

A análise de concorrentes vai além de simplesmente conhecer quem são seus competidores.

Desde o começo do negócio, busque analisar estratégias de preços, posicionamento de marca, presença online e como eles se divulgam online.

Essa visão macro do mercado permite identificar lacunas que seus concorrentes podem não estar explorando e usar essas oportunidades para se destacar.

Se você ainda não tem muita prática em gestão de negócios, o modelo mais simples e eficaz para esse monitoramento se chama Análise SWOT.

A sigla, também conhecida em português como FOFA, descreve Forças, Oportunidades, Fraquezas, e Ameaças.

A ideia é criar uma tabela com cada uma dessas características e descrever o seu negócio e de seus concorrentes seguindo cada uma delas.

Assim, você conhece melhor o mercado e descobre o que precisa para se destacar:

  • Forças a serem evidenciadas
  • Oportunidades a serem abraçadas
  • Fraquezas a serem resolvidas
  • Ameaças a serem mitigadas

4. Faça um plano de negócios eficiente

O plano de negócios é o coração de qualquer empresa.

É um guia estratégico que abrange desde a visão da empresa, seus valores, até detalhes financeiros a curto, médio e longo prazo.

Esse plano deve contemplar pontos importantes de gestão como dados sobre o mercado em que você quer se inserir, o capital inicial e onde será empregado, além de projeções de quando a empresa começará a dar retorno e se tornar lucrativa.

Se você não tem experiência no assunto, pode acessar o portal educativo do SEBRAE ou até mesmo contratar um consultor especialista.

5. Encontre parceiros e fornecedores para o seu negócio

Dentro do seu plano de negócios, vai ficar clara a definição inicial de como você manter a loja funcionando de maneira sadia.

Parcerias sólidas com fornecedores são essenciais para garantir um fluxo constante de produtos de alta qualidade e que conversam com seu público.

Lembre-se: o seu fornecimento é que vai definir o seu sucesso.

Seja em parcerias locais ou internacionais, você precisa entregar itens consistentes tanto em relação ao mix quanto dentro de cada modelo.

As melhores parcerias vão depender do tipo de loja que você quer montar. Por exemplo:

  • um e-commerce de fast fashion, com modelos mais básicos e preço em conta, necessita de fornecedores com mais volume e padrão entre as roupas;
  • uma loja mais vintage, no estilo brechó, precisa de curadoria de peças usadas, que estejam em bom estado, mas que também apresentem algo único e relevante para o público;
  • uma marca voltada para moda de luxo tem que contar com alta qualidade, mas também exclusividade para peças com tiragem menor e ticket médio mais alto.

6. Crie uma marca forte

Uma marca é muito mais do que apenas um nome e um símbolo: é a personalidade do seu negócio. Invista tempo e recursos.

Se possível, para desenvolver uma identidade visual coesa, incluindo logotipo, paleta de cores e design.

Certifique-se de que sua marca reflete os valores que você quer transmitir ao seu público-alvo.

Uma marca forte não apenas atrai clientes, mas também cria lealdade a longo prazo.

É importante reforçar também que uma marca não se limita a seus elementos visuais.

O conteúdo que compartilha, a interação social nas redes, tudo isso forma a chamada brand persona: a marca como uma pessoa.

7. Considere abrir uma loja virtual

Por mais que o marketplace ajuda com o alcance da sua marca, ele não é o ideal quando o assunto é imprimir sua linguagem e seus valores para o público.

Afinal, esses portais são bastante limitados em customização de experiência.

É por isso que vale muito a pena ter uma loja virtual própria.

Você pode contratar alguém para construir do zero ou criar por conta própria ao utilizar um serviço especializado de e-commerce, com acesso a layouts prontos, integração com redes sociais e condições especiais de frete.

Personalize a experiência do usuário, garantindo que a navegação seja fácil e agradável, com fluxos de compra sem atritos.

Nos próximos passos, do 9 ao 12, vamos mostrar alguns pontos que precisam estar ser priorizadas para atrair mais clientes.

8. Escolha uma plataforma de E-commerce que atenda as suas necessidades

Uma das formas de alavancar seu negócio na internet é investir em uma plataforma exclusiva para vendas — afinal, todas as estratégias mencionadas acima serão aplicadas com muito mais eficácia em um canal que você possa atuar de perto na gestão e nas tomadas de decisão.

A plataforma de e-commerce é o serviço responsável por hospedar lojas virtuais de diversos tamanhos.

Esse tipo de tecnologia permite que você tenha um site profissional para vender roupas online e centralize os dados dos clientes em um só sistema.

O que ajuda a desenvolver um relacionamento com esse público e estimular a recompra.

Os benefícios não param por aí: ao contrário de redes sociais como o Facebook, você não precisa postar suas peças à venda exaustivamente para atrair o público, muito menos enfrentar a redução do alcance orgânico da plataforma.

Com uma loja online, você cadastra seus produtos de acordo com seu estoque, podendo gerir essa logística de forma automática, inclusive.

Além disso, seus produtos ganham mais confiabilidade e abrangência, proporcionando toda a liberdade para investir em marketing digital e captar mais clientes.

9. Aproveite a audiência dos marketplaces

Os marketplaces hoje são uma ótima porta de entrada para quem está começando seu negócio de moda. São portais de e-commerce que reúnem expositores em uma navegação única e integrada.

Essas plataformas têm um grande alcance e podem expor seus produtos a uma audiência diversificada. Marketplaces frequentemente oferecem programas de anúncios e opções para destacar produtos.

O ideal no setor é que você marque presença em mais de um marketplace.

Você pode experimentar os mais generalistas, como Amazon e Mercado Livre, mas focar também nos especializados em moda, como Shein, Dafiti e outros.

10. Tenha boas fotos de produto

Se o cliente não pode manusear o produto online, a apresentação por meio de fotos é fundamental para a decisão de compra.

Segundo pesquisa, a taxa de conversão aumenta entre 9% e 20% quando a loja apresenta imagens de alta qualidade.

Se for possível, invista em sessões de fotografia profissional para apresentar seus produtos de maneira atraente.

Utilize imagens de alta resolução e permita que os clientes vejam os detalhes das texturas, tecidos, cortes e cores.

Múltiplas perspectivas também ajudam muito: diferentes ângulos, zoom e recursos interativos permitem que o público examine a roupa como se fosse presencial.

Ah, e fotos em modelos reais ajuda clientes a visualizarem como as roupas se ajustam ao corpo.

11. Crie promoções

Não existe consumidor que não vá atrás de uma promoção na hora de comprar roupa nova.

Se você estrutura seu negócio para sempre oferecer condições especiais, ganha mais destaque no mercado.

Alguns exemplos de promoções que você pode fazer são:

  • promoções sazonais, como Natal, Black Friday, Dia das Mães etc;
  • desconto para primeira compra;
  • liquidações e outlet;
  • pacotes promocionais com itens complementares — o chamado cross selling;
  • compre 2 pague 1;
  • cashback;
  • descontos especiais para clientes fieis;
  • cupom de aniversário, entre outros.

12. Faça descrições de produtos otimizadas

Muitos consumidores online são desconfiados e só compram quando têm muita certeza de que o produto é o que querem ou precisam.

Portanto, descrições de produtos são mais do que apenas uma lista de recursos.

Descreva não apenas as características, mas também os benefícios. Forneça orientações sobre o ajuste, tecido e cuidados com a peça.

Quanto mais informações você fornecer, mais confiança o cliente terá na compra.

E atente-se também para práticas de visibilidade online.

Utilize palavras-chave relevantes para otimizar para mecanismos de busca (SEO).

Idealmente, escolha termos que são mais buscados pelo seu público-alvo quando querem uma roupa nova.

Nesse sentido, criar descrições completas e criativas da roupa são grandes diferenciais.

São atributos interessantes:

  • medidas;
  • tipo de tecido;
  • combinações de looks;
  • cores e estampas disponíveis;
  • tipo de corte.

Além disso, exibir as peças da melhor maneira possível também faz parte dessa estratégia. 

Tendo em vista que as imagens são o principal ponto de contato na internet, o consumidor precisa enxergar todos os aspectos da roupa e conseguir se imaginar vestindo o produto.

Por isso, é essencial que as fotografias sejam da melhor qualidade, mostrando detalhes e ângulos diversos.

Que tal um giro de 360º pela peça?

13. Ofereça boas condições de pagamento

Quanto mais opções de pagamento você oferece ao seu público, menor a chance de abandonos de carrinho.

O ideal é investir em diversidade e segurança, garantindo que o processo de checkout seja intuitivo e seguro, minimizando carrinhos abandonados.

Marketplaces e plataformas de e-commerce geralmente já contam com esse serviço incluído, mas você pode investir também em gateways de pagamento, principalmente em sua loja virtual, que automatizam o fluxo de compra para você.

14. Divulgue seus produtos nas redes sociais

As redes sociais são ferramentas essenciais para construir e expandir sua base de clientes.

Crie conteúdo visual atraente, compartilhe notícias da indústria, e interaja com seus seguidores.

Utilize plataformas como Instagram, Facebook e Pinterest para mostrar seu catálogo, colaborar com influenciadores e participar de tendências relevantes.

Aqui, entram as estratégias de Marketing Digital: produção de conteúdo rico, criação de uma persona para a marca nas redes e até investimento em anúncios pagos.

15. Cuide da logística do seu negócio (entregas no prazo, trocas facilitadas etc.)

Cuidar da logística do seu negócio não apenas garante a sua organização, mas também impacta diretamente na satisfação do cliente — influenciando positivamente a reputação da sua loja de roupas online.

Garanta que suas entregas sejam pontuais, com opções de rastreamento para proporcionar tranquilidade aos clientes.

Ofereça políticas de troca e devolução transparentes para construir confiança.

Para ter esse nível de estrutura desde o início, considere parcerias com serviços de entrega confiáveis e invista em sistemas de gestão logística.

16. Forneça um ótimo atendimento ao cliente

Este passo parece óbvio, mas é preciso reforçar a importância do atendimento ao cliente para o sucesso de um e-commerce de moda.

Por melhor que sejam seus produtos e preços, de nada adianta se a experiência de compra é ruim.

O principal é estar disponível em todos os canais que público-alvo utiliza com frequência e responder o mais rápido possível.

Cogite investir em um chatbot para iniciar atendimentos e crie uma reserva de caixa para devoluções e brindes que tornem uma situação ruim em um momento inesquecível para o cliente.

17. Capriche nas embalagens dos produtos

Um ponto que muitos lojistas online não pensam na experiência de compra é o chamado unboxing.

É assim que é chamado o momento em que o cliente finalmente recebe sua encomenda e abre para o primeiro contato com o produto.

Uma embalagem surpreendente pode marcar a empresa na mente da pessoa muito além da roupa em si.

E como gostamos de repetir uma experiência boa, a embalagem que encanta ajuda também a fidelizar.

18. Ofereça algo a mais e conquiste esse cliente

Como dissemos na parte do atendimento, toda situação difícil pode ser uma oportunidade para conquistar um cliente para sempre.

Mas esses pequenos mimos podem acontecer em qualquer momento da jornada, não apenas quando algo dá errado.

Crie uma estratégia de encantamento, um plano financeiro para dar sempre um pouco a mais do que o cliente espera.

Esse pouco a mais pode ser um brinde na compra, um cupom de desconto especial ou até acesso a itens exclusivos.

O carinho com o seu cliente é a base de uma comunidade de marca.

19. Use e abuse das estratégia de Liveshop

Liveshop ou Live commerce, é uma transmissão ao vivo com o foco em vendas.

Principalmente durante a pandemia do Covid-19 essa modalidade de vendas explodiu nas redes sociais.

E logo caiu no gosto dos criadores de conteúso e influenciadores de marcas.

Mas, não pense que as lives shop funcionam somente para os grandes varejistas.

Sua loja de roupa, também pode surfar nessa tendência, faturar online conquistar clientes criando uma verdadeira comunidade da sua marca.

A ideia principal é direcionar a atenção da audiência, ao vivo, para os produtos da sua loja.

Enfatizando os benefícios, mostrando as peças em diferentes tamanhos e corpos, oferecendo descontos e promoções para os expectadores que estiverem online durante a transmissão.

Empreendedora em uma liveshop, mostrando as peças para as seguidores da sua loja online de roupa.

O grande diferencial entre uma Live Commerce e apenas um vídeo demonstrativo, é que quando um produto é apresentado ao vivo a interação com os usuários é muito maior.

Aposte agora nessa tendência validade tanto para lançamentos de coleções e datas comemorativas.

Por onde começar

Ao seguir todos os passos que apontamos aqui, você tem tudo para montar uma loja virtual de sucesso no setor de moda.

Resumindo o que vimos, os pilares para começar são:

  • definir o seu público;
  • entender que produto atrai o seu público;
  • criar uma experiência de comunicação digital e navegação que transpareça essa identificação e atraia novos clientes com frequência.

Ou seja, o seu cliente é o centro de todas as suas estratégias.

Agora que você sabe como vender roupas pela internet, é só seguir os passos, construir os pilares e investir nos seus sonhos.

Quer começar agora mesmo a montar sua loja com uma identidade que destaque seus produtos?

Conteúdos que podem te interessar:

 ➞ 7 passos para criar uma marca de sucesso;
 ➞ Loja de moda Plus Size: dicas para explorar esse nicho;
Os melhores marketplaces de moda do Brasil [Lista].

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira os Planos Tray e abra sua loja virtual
Plano 1
52
Economize R$144
Economize R$144
Economize R$84
R$ 624 por ano
Economize R$144
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 2
94
Economize R$60
R$ 1.128 por ano
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 3
236
Economize R$156
R$ 2.832 por ano
em até 6x sem juros
Plano 4
359
Economize R$480
R$ 4.308 por ano
em até 6x sem juros

Plano 1

59

Melhor custo benefício

Plano 2

99

Melhor custo benefício

Melhor custo benefício

Melhor custo benefício

Plano 3

249

Plano 4

399

Assine e receba novos materiais

⚠ Não se preocupe, você não receberá spams. Além disso, seus dados estão seguros, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados.

Fique por dentro

Parabéns por se inscrever

Quer receber conteúdos e materiais em primeira mão? Acesse nosso grupo gratuitamente!