Pesquisar
Close this search box.

Remarketing: Aprenda como transformar visitantes em clientes fiéis

O remarketing, ou em uma tradução simples: “fazer marketing novamente”, é uma prática bastante eficiente para aumentar as taxas de conversão de vendas. Visa apresentar anúncios para usuários, potenciais clientes, que demonstraram interesse por algum produto do seu e-commerce e não realizaram uma compra.
O remarketing, ou em uma tradução simples: “fazer marketing novamente”, é uma prática bastante eficiente para aumentar as vendas.

Principais tópicos

A estratégia de remarketing é uma poderosa ferramenta para aumentar a visibilidade do seu negócio e melhorar as taxas de conversão e vendas do seu e-commerce.

Além de entregar anúncios relevantes para o seu público, ainda é possível segmentar a sua audiência e entregar conteúdos diretamente relacionados às pesquisas que eles fizeram no seu site.

Quer saber como colocar a estratégia de remarketing em prática no seu negócio?

Não deixe de conferir este artigo até o final.

O que é remarketing?

Como o próprio nome sugere, remarketing é fazer marketing de novo.

É uma poderosa estratégia de marketing digital, que se baseia em exibir conteúdos, para usuários que já demonstraram interesse nos produtos que a marca comercializa.

Logo, é possível compreender que o remarketing é uma estratégia totalmente voltada para aumentar as conversões de uma empresa ou e-commerce.

Por mais que possa parecer um tema pouco explorado, é muito provável que você já tenha sido impactado por uma campanha de remarketing.

Isso porque quando o usuário pesquisa por um produto e acessa uma página de vendas desse produto, ele será reimpactado com conteúdos que envolvem o produto.

Essa estratégia é de grande importância para potencializar as vendas, porque a maioria dos consumidores tende a não comprarem um produto no momento em que o descobrem ou pesquisam sobre ele.

Quando falamos em soluções mais complexas, em que a jornada de compras do cliente é mais longa, contar com o remarketing pode ser o fator decisivo para potencializar as vendas e aumentar a taxa de conversão do negócio.

Como o remarketing funciona?

Por mais que possa parecer coincidência, o remarketing trabalha usando as informações de pesquisa dos usuários.

Ou seja, ele consegue entender a intenção de compra de um usuário para segmentar um conteúdo que aumente a intenção de compra até que o consumidor realize a compra.

Esses dados são obtidos por meio de diferentes métricas de um site, blog e outros canais.

Sempre que um usuário acessa um site, por exemplo, e aceita os cookies, ele está permitindo que essa página online tenha acesso às suas informações de usuário.

Com isso, esse site consegue entender quais são os interesses do usuário, qual a intenção de compra que ele demonstrou em um determinado produto, para serem criados materiais de anúncios muito mais personalizados e segmentados.

Isso explica por que sempre que visitamos a página de um produto, começamos a receber conteúdos, nas redes sociais e nas ferramentas de busca, sobre o produto pesquisado anteriormente.

Portanto, quando os cookies de um site são aceitos, é muito comum que o usuário seja impactado com conteúdo sobre esse produto, ou produtos semelhantes, por um determinado período.

Durante esse período, a empresa estará se esforçando para que o usuário seja convencido a realizar a compra.

O remarketing se baseia em continuar aparecendo para um potencial cliente, que demonstrou interesse no produto, até que ele faça a conversão de venda.

Aumentar a lembrança de marca e potencializar a intenção de compra é fundamental para que o remarketing tenha o efeito, quando um cliente for tomar a decisão.

Existem muitos objetivos que podem ser alcançados com o remarketing, que funcionam por meio da segmentação da persona e da criação de materiais totalmente direcionados para cada grupo de persona, baseado no comportamento delas.

Alguns exemplos possíveis são:

  • usuários que abandonaram um produto no carrinho;
  • clientes que já compraram no e-commerce e gastaram um valor de X;
  • potenciais clientes que visitaram um determinado número de páginas do site;
  • usuários que visitaram um produto específico, mas não compraram.

Com esses comportamentos, que devem estar alinhados com os objetivos da marca, será possível criar listas com usuários para cada um desses segmentos.

Com isso, a marca consegue criar divulgações que estimulem esses consumidores a comprarem da empresa.

Quais são as vantagens do remarketing?

A estratégia de remarketing oferece muitas vantagens aos negócios que vão além do aumento das vendas, ainda que esse já seja motivo suficiente.

Confira alguns dos principais benefícios dessa técnica.

Aumentar a lembrança de marca

Existem muitos motivos que podem fazer com que um potencial cliente não realize uma compra nos primeiros momentos.

Indecisão sobre a compra, falta de conhecimento sobre o produto, valor da oferta, falta de uma oferta de valor, entre outros.

O remarketing atua justamente para contornar algumas objeções de compras ao oferecer um valor a mais àquele produto que o usuário já demonstrou interesse.

Além disso, é uma excelente maneira de se manter presente na mente do consumidor para que, quando ele se sentir apto a fechar negócios, a marca seja uma das primeiras que ele se lembre.

Elevar a taxa de conversão de vendas

O universo das vendas online está cada vez mais competitivo com inúmeras marcas e empresas oferecendo produtos similares.

Logo, a empresa que já conseguiu atrair um consumidor e fazer com que ele chegue até o carrinho de compras, por exemplo, não pode deixar ele escapar com tanta facilidade.

Como já mostramos, fazer marketing de novo é uma das maneiras mais eficientes de aumentar as conversões, porque o material impactará um usuário que já pesquisou, encontrou e cogitou fazer uma compra.

O que falta para que ele converta, pode ser justamente uma oferta, um cupom ou a lembrança de que aquela solução ainda está disponível.

Direcionar o foco para os anúncios

Outro ponto já falado neste artigo, mas que é de suma importância, é a capacidade de segmentação dos anúncios para a estratégia de remarketing.

O anúncio pode ser preparado para uma lista de contato que realizou algum comportamento específico, como os usuários que visitaram X páginas de fundo de funil do blog corporativo.

Portanto, o anúncio poderá oferecer um cupom de desconto especificamente para esses usuários que já consumiram diferentes tipos de conteúdos da marca, já entenderam que têm um problema e já estão vendo como a empresa pode ajudá-los a solucionar esse problema.

O anúncio, nesse exemplo, não precisa se restringir a um desconto especial.

Ele também pode ter o objetivo de oferecer um teste grátis ou uma consultoria com os vendedores da marca.

Aumentar o alcance

Os materiais de remarketing não estão restritos ao Google, já que podem atingir outras mídias.

É possível criar materiais para os usuários que visualizaram determinados vídeos no YouTube.

Economizar recursos

Por mais que exista sim um custo relevante, já que é preciso investir em conteúdos, o remarketing pode sair mais vantajoso do que as demais estratégias de mídia paga.

Mesmo que não seja a forma mais econômica de marketing digital, o retorno sobre o investimento se torna mais garantido, já que o impacto é direcionado para pessoas que já mostraram que estão interessadas no produto ou na solução.

Logo, as conversões são maiores e as chances de vendas melhores, garantindo uma economia no final das contas.

Remarketing e retargeting: qual é a diferença?

Como dissemos no começo deste artigo, existe uma confusão muito comum quando falamos de remarketing, que é achar que essa estratégia é a mesma prática do retargeting.

Contudo, apesar de ambas as práticas terem o mesmo objetivo: converter potenciais clientes que já tomaram alguma ação que demonstre interesse no produto ou serviço, a diferença está exatamente na forma de desempenhar cada uma das estratégias.

O retargeting é voltado para as campanhas de anúncios de ferramentas de busca, como o Google.

Tanto é que o Google tem uma ferramenta que se chama: Retargeting.

Com ela, fica possível criar anúncios personalizados e segmentados para os usuários com base em atividades comportamentais.

Falamos sobre isso em um tópico acima.

Mas é fundamental entender que o retargeting tem um foco ainda maior no comportamento dos usuários, do que as campanhas tradicionais de ads.

Outra importante característica do retargeting, é que a frequência de exibição dos anúncios criados tende a ser maior do que o modelo de anúncios tradicional.

Portanto, podemos dizer que o retargeting é uma ferramenta do Google, voltada para anúncios segmentados e personalizados.

Já o remarketing é voltado para a criação de conteúdos e materiais que visam aumentar as conversões de vendas e impactar novamente potenciais clientes.

Voltando para o retargeting, é fundamental deixar nítido que essa estratégia também precisa de planejamento, para ter os resultados esperados atingidos.

Do contrário, o anúncio perde sua relevância, alcance e eficiência.

Para que isso não aconteça, é preciso segmentar o anúncio por meio da lista de contatos, bem como especificações dos grupos de usuário de cada ação planejada.

O retargeting acontece por meio do uso dos cookies em páginas online, que funcionam como sinalizadores no computador dos usuários.

Logo, o Google irá identificar esse cookie para exibir anúncios relacionados a sua marca, conforme determinado na criação da estratégia.

A estratégia de retargeting costuma acontecer por um período de 30 dias e quando passado esse período, os cookies são apagados do computador do visitante que não mais visualizarão os anúncios criados.

Como criar campanhas de remarketing?

Antes de começar a criar a campanha de remarketing, é preciso considerar os diferentes estágios de compra do consumidor, que envolvem:

  • consciência: quando o usuário faz uma pesquisa mesmo que não tenha a intenção de compra;
  • consideração: quando o visitante está considerando fazer uma compra;
  • compra: quando a compra é efetuada;
  • fidelização: quando o usuário já comprou e a marca quer fidelizá-lo.

Dessa forma, ficará mais fácil implementar os passos que mostraremos a seguir, garantindo maiores chances de sucesso.

Acompanhe!

1º passo: defina o público

Como já é sabido, é preciso segmentar o público para cada campanha de remarketing.

Logo, defina qual é o critério de segmentação baseado no comportamento que os usuários tomaram ao se relacionarem com os canais da sua marca.

Existem ferramentas, como o gerenciador de públicos, do Google Ads, que podem fornecer importantes insights para quem ainda não tem um público segmentado.

2º passo: crie campanhas para cada segmento

Para cada segmento que acompanha os diferentes estágios da jornada de compras do cliente, deve ser selecionado um tipo de remarketing.

A grande vantagem dessa ação é garantir maiores taxas de conversão, já que os diferentes públicos serão impactados com materiais altamente personalizados.

3º passo: crie listas negativas

As listas negativas, ou seja, a lista com pessoas que não devem ser impactadas ajudam muito a cortar gastos desnecessários, já que alguns anúncios podem não ser condizentes com o estágio de compras de determinados usuários.

Quando um usuário recebe uma oferta com desconto, mas ainda está no momento de descoberta, ele provavelmente ignorará o material e ainda pode se sentir incomodado com a oferta.

4º passo: crie landing pages

landing page é uma página de conversão muito poderosa, voltada para despertar o interesse e fazer com que ele tome alguma ação, como a de clicar no anúncio ou visitar a página de compras.

Logo, é uma aliada do remarketing.

Contudo, é preciso investir em landing pages atrativas e que tenham chamadas para ação (CTA) que sejam realmente persuasivas.

5º passo: defina a quantidade de impressões

O remarketing precisa de uma definição do número de vezes que os usuários serão impactados com o anúncio.

Afinal, é muito importante que os potenciais clientes sejam impactados pelo anúncio, para aumentar a lembrança de marca.

Mas, caso o número de impressões para o mesmo usuário seja muito grande, o efeito pode ser contrário e remarketing pode não funcionar como deveria.

Quais são as formas de fazer remarketing?

Existem duas maneiras eficientes de fazer remarketing, por meio do Google Ads e do Facebook Ads.

Confira cada uma delas agora mesmo!

Remarketing no Google Ads

No Google Ads, é possível fazer o remarketing na Rede de Display e na Rede de Pesquisa.

Rede de Display

Os anúncios de Rede de Display aparecem quando o usuário está visitando um outro site, em forma de banners ou anúncios gráficos.

Eles são mais simples, com foco total no produto e destaque para o preço, já que a única intenção é não deixar o cliente esquecer daquela compra pendente. Geralmente esses anúncios atraem bastante atenção dos usuários.

Como lojista, você pode escolher como pagar por esse tipo de anúncio, pela quantidade de cliques ou pela quantidade de exibição.

remarketing rede display

Rede de pesquisa (remarketing no Google Ads)

Nesse caso, os anúncios serão exibidos diretamente na página de resultados.

Geralmente têm alta taxa de clique, porque aparecem em pesquisas relacionadas aos produtos de remarketing selecionados.

Sem falar que não são anúncios que incomodam, uma vez que só aparecem quando de fato o cliente está procurando por aquelas palavras-chaves.

Além da tradicional pesquisa do Google, os anúncios ficam disponíveis também no Google Shopping e Google Maps.

Esse modelo permite diferentes estratégias como:

  • otimizar o lance de palavras;
  • diminuir lances;
  • customizar texto do anúncio.

Para fazer o remarketing no Google Ads, é preciso:

  • Acessar a ferramenta e acessar o gerenciador de público-alvo;
  • Depois, clicar na lista de público-alvo;
  • adicionar a lista de visitantes do site;
  • selecionar o modelo da lista, que fica no espaço “Membros da Lista”;
  • definir o conjunto de regras, em “Páginas Visitadas”;
  • incluir o valor para o número de visitantes para o período determinado;
  • estabelecer o tempo que cada visitante ficará na lista;
  • colocar uma descrição sobre o público dessa lista;
  • clicar em “Criar Público-alvo” e pronto.

Remarketing via e-mail

Remarketing e retargeting não são a mesma coisa, porém, estão diretamente relacionados.

Como já mencionamos, o retargeting baseia-se nos dados de navegação do usuário, já o remarketing precisa do e-mail do usuário cadastrado.

Um e-mail remarketing é aquela mensagem que chega na caixa de entrada logo após você visitar uma loja virtual.

Pode acontecer em seguida, algumas horas ou alguns dias depois da demonstração de interesse pelo produto.

Esse e-mail pode ser enviado em diferentes intensidades, dependendo do grau de interesse pela compra. Por exemplo, o cliente pode apenas ter visitado, pode ter favoritado ou abandonado no carrinho.

Para produtos favoritados e abandono do carrinho, vale muito a pena investir em e-mail remarketing, já que possuem maiores chances de conversão.

Nesse caso, vale a pena oferecer um desconto especial para conseguir fechar a compra rapidamente.

Além de oferecer desconto para carrinhos abandonados, você pode enviar alerta de redução de preço ou recomendar produtos similares.

Remarketing no Facebook Ads

O remarketing no Facebook Ads funciona de maneira bem semelhante, já que ele conta com uma ferramenta própria para estratégia de mídia paga.

Logo, é preciso contatar com alguns passos para o planejamento, execução e mensuração.

O planejamento da campanha demanda por uma análise do nicho, para compreender o que os concorrentes já estão fazendo e o que o mercado está demandando.

Outro ponto importante é fazer a análise do site para entender quais páginas têm melhor desempenho e quais têm menos visitas e outras informações valiosas.

Como estamos falando de pessoas que já tiveram contato e, em alguns casos, visualizaram a página de um produto ou vendas.

Não se esqueça de usar os gatilhos de escassez e urgência para converter mais pessoas e melhorar as taxas de vendas.

Para fazer o remarketing no Facebook, realize os seguintes passos:

  • Acesse a página do Facebook;
  • Clique no “Gerenciador de Anúncios”;
  • Opte por “Ferramentas”;
  • Escolha a aba “Público”;
  • Vá em “Criar Público Personalizado”;
  • Após, “Tráfego de Site”;
  • Agora, é o momento de configurar as opções, como “Qualquer pessoa que visite meu site”;
  • Determine o período de avaliação;
  • Escolha o nome para esse público personalizado;
  • Clique em “Criar Público”;
  • Pronto, você já criou uma estratégia de remarketing no Facebook.

Dicas para melhorar a taxa de conversão com remarketing

Faça testes e analise os resultados: não existe uma fórmula mágica para fazer remarketing.

Algumas estratégias podem variar de acordo com cada segmento, nicho e público-alvo, além do comportamento de compra de cada usuário.

Por isso, nunca deixe de acompanhar os resultados e fazer análises do que realmente está funcionando. Mantenha o que está dando certo e altere o que não está convertendo.

Crie anúncios personalizados: embora tenhamos destacados que os banners de remarketing são simples, tome cuidado para não serem simples demais.

O ideal é que sejam objetivos, mas que mantenham a personalidade da marca ou produto anunciado.

Cuidado com exageros: cuidado para não incomodar o cliente.

Se a mesma pessoa for impactadas exaustivamente, o resultado pode ser o oposto daquele esperado, ao invés de realizar a compra, aquele usuário criará uma má impressão de sua loja.

Diminuindo drasticamente as chances de comprar.

Não impacte o mesmo cliente mais de oito vezes no mesmo dia.

O remarketing é uma estratégia de fundamental importância para os negócios que desejam aumentar as vendas e conquistar melhores taxas de conversão.

Afinal, por mais que as mídias pagas gerem bons resultados, dificilmente um primeiro anúncio fará com que o usuário faça uma compra.

É preciso que ele seja impactado novamente pelo marketing da empresa para que se sinta apto a fechar negócios.

Agora que já sabemos como fazer remarketing, na prática, ficará muito mais fácil otimizar a sua estratégia de vendas online.

Quer saber como melhorar os seus anúncios para impactar potenciais clientes da melhor forma?

Então, confira este e-book completo sobre o Facebook Ads.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira os Planos Tray e abra sua loja virtual
Plano 1
52
Economize R$144
Economize R$144
Economize R$84
R$ 624 por ano
Economize R$144
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 2
94
Economize R$60
R$ 1.128 por ano
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 3
236
Economize R$156
R$ 2.832 por ano
em até 6x sem juros
Plano 4
359
Economize R$480
R$ 4.308 por ano
em até 6x sem juros

Plano 1

59

Melhor custo benefício

Plano 2

99

Melhor custo benefício

Melhor custo benefício

Melhor custo benefício

Plano 3

249

Plano 4

399

Assine e receba novos materiais

⚠ Não se preocupe, você não receberá spams. Além disso, seus dados estão seguros, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados.

Fique por dentro

Parabéns por se inscrever

Quer receber conteúdos e materiais em primeira mão? Acesse nosso grupo gratuitamente!