Pesquisar
Close this search box.

O que é marketing digital? Aprenda o conceito e estratégias para promover seu negócio

Marketing digital são ações e estratégias que tem como objetivo promover marcas, produtos ou serviços online. As ações de marketing digital podem incluir a criação de conteúdo, gerenciamento de redes sociais e o uso de e-mail marketing, por exemplo.

Principais tópicos

Todas as atividades e ações que uma empresa ou pessoa realiza em ambiente online, com o intuito de criar relacionamento, atrair novas oportunidades de negócios ou fortalecer a presença de uma marca, podem ser consideradas estratégias de marketing digital.

Para tanto, existem diferentes técnicas de marketing digital que veremos ao longo deste artigo.

Isso porque existem diferentes formas para realizar a promoção de produtos ou marcas nos diversos canais digitais.

Essa é uma estratégia já muito utilizada porque é uma das formas mais eficientes para realizar uma comunicação direta, personalizada e no melhor momento com o público-alvo da empresa.

Afinal, já existem mais de 5 bilhões de pessoas conectadas, segundo pesquisa Digital 2022 (We are Social e HootSuite).

Com tantas pessoas utilizando os canais digitais, é impossível pensar em fazer negócios sem uma presença fortalecida nesse ambiente.

Como funciona o marketing digital

Assim como outras formas de promoção, marketing tradicional e outbound marketing, o marketing digital tem sua maneira particular de funcionar, mas que precisa de estratégia e objetivos, ou seja, necessita de um bom planejamento.

Para realizar esse planejamento, é fundamental utilizar uma diversidade de ferramentas e de indicadores, para que a estratégia que está sendo colocada em prática possa ser analisada e avaliada, por meio de métricas e KPIs.

Algumas das formas mais utilizadas para a implementação do marketing digital, temos a otimização de sites, a produção de conteúdo, o gerenciamento de redes sociais, a implementação de e-mail marketing, entre outras.

Com técnicas como essas, é possível criar uma aproximação com um público para que ele seja impactado na hora certa, com o conteúdo certo e no canal de comunicação certo.

Já, dentre os principais objetivos de marketing digital, podemos citar quatro pilares:

  • tráfego: gerar mais visitantes para um canal online, por meio de conteúdos informativos, de entretenimento ou educativos;
  • engajamento: gerar interesse para que o visitante realize alguma ação nesses canais (baixar um material rico, deixar um comentário, continuar navegando no site ou blog, etc.);
  • conversão: é o momento de fazer com que o visitante se torne um lead ou prospect para que seja nutrido até o momento de efetivar uma compra;
  • retenção: após a compra é preciso fazer com que os visitantes continuem fazendo negócios com a marca.

Conceito do mix de marketing

Por mais que muitas mudanças ocorreram quando surgiu e se intensificou o marketing digital, conceitos do marketing tradicional guiam o marketing nos canais online.

Um deles é o famoso conceito dos 4Ps do marketing.

Os 4Ps do marketing dizem respeito a 4 pontos-chave para a comercialização de um produto ou serviço: produto, preço, praça e promoção.

Contudo, ao longo do aperfeiçoamento do marketing, outros Ps foram adicionados para que o conceito ficasse mais completo.

Um desses Ps é devido à importância de considerar os desejos do consumidor colocando o cliente em um lugar central em uma estratégia de marketing.

Ou seja, temos 5 Ps: produto, preço, promoção, praça e pessoas.

Algum tempo depois, mais 4 Ps foram somados ao conceito de Mix de marketing.

Criando os 8 Ps do marketing:

  • preço;
  • praça
  • produto;
  • promoção;
  • processo;
  • posicionamento
  • performance.

Principais conceitos de marketing digital

Agora que já entendemos um pouco mais sobre o marketing digital, é preciso conhecer alguns conceitos e termos indispensáveis para colocar essa estratégia em prática.

É isso que veremos agora!

Persona

A persona é um personagem criado para uma empresa com base em dados e comportamentos reais, coletados por meio de pesquisa que indicam quem é o comprador ideal.

Também é comumente chamada de buyer persona, sendo ela quem direcionará toda a estratégia de marketing de conteúdo da empresa.

O ponto fundamental para a criação da persona é que ela seja feita com pesquisa e dados reais.

Portanto, é preciso entender quem são os clientes do negócio, com o que trabalham, quais são os seus hábitos diários, como fazem pesquisa e encontram informações.

Bem como os hábitos de consumo, suas necessidades e tudo o mais que for relevante para criar uma estratégia.

Lead

Lead é uma oportunidade concreta de negócios para uma empresa.

É o nome dado aos visitantes que ofereceram dados e informações relevantes para a empresa.

Um lead é um usuário que demonstrou interesse nos produtos ou serviços e, muito provavelmente, gostaria de ouvir mais sobre o que a empresa tem a oferecer.

Esse interesse não é exclusivamente sobre o produto em si, mas sobre os conhecimentos que a empresa tem para passar sobre a sua área de atuação.

Quando os leads são criados e bem geridos, os times de vendas têm muito mais chances de fecharem negócios.

Já que o lead já entende mais sobre a empresa e sobre a solução que ela oferece.

Para que o lead esteja pronto para ser abordado, é preciso que ele tenha sido nutrido e percorrido uma jornada pelo funil de vendas da empresa.

Funil de vendas

O funil de vendas representa todas as etapas que um cliente passa para chegar ao momento da compra.

Também chamado de pipeline, o funil de vendas costuma ter três etapas: topo, meio e fundo de funil.

Esse modelo estratégico é o responsável por mostrar e mapear a jornada do cliente, do primeiro contato até o momento do fechamento da compra.

Ele é constituído por um conjunto de etapas e gatilhos gerados pela união entre o time de marketing e vendas.

O funil de vendas se relaciona com a jornada de compras do consumidor da seguinte maneira:

  • topo de funil: aprendizado e descoberta (é o momento que o consumidor descobre que tem um problema e começa a aprender mais sobre ele);
  • meio de funil: reconhecimento do problema e busca pela solução (o visitante já aprendeu sobre o problema e começa a buscar a forma de solucionar esse problema);
  • fundo de funil: decisão de compra (são visitantes que já se tornaram leads, já entenderam muito sobre o problema e a solução, e estão prontos para serem abordados pelo time de vendas).

Portanto, a jornada de compras pode ser caracterizada, por:

  • aprendizado e descoberta;
  • reconhecimento do problema;
  • consideração da solução;
  • decisão de compra.

CRM

Customer Relationship Management, ou CRM, é o software que faz toda a gestão do relacionamento com os consumidores da empresa.

Essa é uma ferramenta muito importante para potencializar as vendas.

Isso porque é ela quem automatiza todo o processo de registrar e organizar os pontos de contato que um consumidor teve com o vendedor de um empreendimento. 

Essa ferramenta faz muito mais do que gerar uma lista de contatos.

Ela permite criar um relacionamento mais duradouro com os clientes e potenciais clientes, para oferecer a melhor experiência de compras possível. 

Algumas das informações registradas com o CRM são:

  • cadastro de clientes;
  • registro das informações;
  • preferências e dados dos contatos;
  • dados sobre os últimos contatos com os clientes;
  • follow-ups.

Landing page

A landing page é uma página de conversão utilizada no marketing digital para fazer a captura de um lead.

Como elas são voltadas para a conversão, é preciso oferecer algum material rico e de valor para que os visitantes que se interessem por ela deixem informações valiosas de contato.

Algumas características indispensáveis que uma landing page deve ter são:

  • títulos e subtítulos atrativos;
  • imagem chamativa;
  • descrição da oferta;
  • formulário;
  • CTA;
  • oferta de valor.

SEO

Search Engine Optimization ou otimização para motores de busca, é o conjunto de ações que contribuem para otimizar o ranqueamento das páginas, sites e conteúdos para que apareçam nas primeiras posições da SERP de ferramentas de busca, como o Google.

O SEO é muito importante para o marketing digital, porque é o grande responsável por fazer com que visitantes e usuários da internet cheguem até o site da empresa.

Sempre que um site é publicado na internet, é preciso fazer com que os buscadores entendam que esse site é o que os usuários estão procurando quando fazem uma pesquisa.

No entanto, existem milhares de sites e blogs disponíveis na internet, fazendo com que seja necessário, para os motores de busca, criarem uma série de critérios para entenderem qual a melhor página para determinadas pesquisas.

Esse é justamente o papel do SEO, gerar uma série de otimizações que auxiliam o algoritmo dos motores de busca a identificarem, por meio de um ranking, qual a melhor resposta para as dúvidas dos usuários.

CMS

Content Management System, em português, Sistema de Gestão de Conteúdo, é uma ferramenta que facilita toda a gestão de conteúdos online de uma empresa.

Com ela, os empreendimentos contam com um sistema online que possibilita colocar um site no ar, manter um blog, um e-commerce e outros tipos de site.

Sem a necessidade de conhecimentos técnicos.

Ele é vantajoso para os negócios porque dispensa o trabalho que envolve toda a parte técnica.

Como ter que cuidar das atualizações diárias ou semanais de mais de uma plataforma online de maneira manual.

CTA

Chamada para ação, ou call-to-action (CTA), em inglês, é uma ferramenta do marketing digital voltada para induzir o usuário a realizar uma determinada ação.

O CTA é indispensável para gerar leads e aumentar as taxas de conversão da estratégia criada.

Isso porque existem diferentes tipos de CTA, usados em landing pages, blogposts, redes sociais, e-mail marketing e tudo o mais que fizer parte da estratégia digital da empresa.

O importante é que o CTA utilizado tenha como objetivo levar o visitante a percorrer o funil de vendas.

Os CTAs são comumente utilizados em:

  • home de sites;
  • páginas de sites;
  • redes sociais;
  • e-mail marketing;
  • posts no blog;
  • anúncios;
  • vídeos;
  • ofertas;
  • materiais específicos.

Fluxo de nutrição

Diretamente ligado a uma estratégia de e-mail marketing, o fluxo de nutrição é um processo que envolve uma sequência de e-mails enviados para um grupo segmentado de potenciais clientes.

Para que realizem uma conversão ou atinjam um objetivo específico.

Essa sequência de e-mail pode ter vários objetivos, mas o que têm em comum é a intenção de construir e melhorar o relacionamento com o público-alvo da empresa. 

Algumas vantagens de fazer um fluxo de nutrição otimizado são:

  • otimizar a entrega de conteúdo;
  • economizar tempo;
  • melhorar as conversões;

Vantagens do marketing digital

Como já é possível perceber, o marketing digital já é uma atividade indispensável para as empresas.

Mas todo esse trabalho deve ser visto como oportunidade para os empreendimentos porque permite que os negócios potencializem suas vendas.

Confira algumas das vantagens que essa estratégia oferece. Vamos lá!

Maior interatividade

Muitos negócios já perceberam a importância de oferecer uma experiência de compras completa para os consumidores com foco na jornada de compras desses clientes.

A interatividade é um grande benefício porque o marketing digital permite que o público e a audiência interajam com as marcas de forma mais aproximada.

Ao fazer campanhas, publicações, vídeos ou imagens, os consumidores podem interagir e opinar com essas publicações, fazendo com que o engajamento gere uma conexão mais real entre consumidor e marca.

Além disso, com poucos cliques, os consumidores podem gerar avaliações, opiniões e recomendar um produto ou empresa para sua rede de contatos, o que potencializa o alcance das ações de marketing do negócio.

Melhor segmentação do público-alvo

Do contrário dos meios tradicionais de marketing, o digital permite uma segmentação muito precisa dos público-alvo.

Isso porque as ações utilizadas permitem que o empreendimento fale com os potenciais clientes realmente interessados nas soluções que estão sendo ofertadas.

Por mais que o grande alcance das ações online seja um diferencial, segmentar esse público e falar com pessoas com real interesse em comprar da marca.

Como exemplo, já nos primeiros contatos do consumidor com a marca, nas redes sociais, já é possível criar anúncios que dialoguem exatamente com quem realmente pode comprar da empresa.

Além de aumentar as chances de vendas, esse poder de segmentação melhora a experiência de compras porque as ações só aparecerão para o público que foi definido como persona do negócio.

Criar conteúdos voltados para cada momento da jornada de compras também só é possível devido a essa possibilidade de segmentação.

Um e-mail de meio de funil, por exemplo, só será enviado para os usuários que já entendem que têm um problema e estão buscando por uma solução adequada.

Ter uma presença online

Já é muito comum que as pesquisas por produtos ou empresas aconteçam nos canais online, como redes sociais, motores de busca e sites.

Logo, não ter uma presença online é uma desvantagem competitiva que pode comprometer um negócio.

Com uma boa presença digital, é possível criar uma identidade de marca mais forte, oferecer informações relevantes sobre a solução, criar uma conexão fortalecida com os consumidores e aumentar as vendas.

Gerar engajamento

Criar relacionamento com os usuários é indispensável para os negócios porque os consumidores tendem a fazer compras com as marcas que eles confiam.

Além disso, quando o relacionamento é bilateral e os clientes passam a confiar na marca, a tendência é que esse relacionamento se torne cada vez mais duradouro, aumentando as chances de um cliente fazer compras com a marca mais de uma vez.

Acompanhar a jornada de compras

Com os canais digitais, a jornada de compras passou a ficar maior e não linear.

Antes, essa jornada acontecia, de modo geral, quando um consumidor via uma propaganda no jornal, rádio ou TV, se dirigia até a loja física e lá tomava a decisão de comprar ou não um produto.

Atualmente, o consumidor tem muitas ferramentas e canais para conhecer, comparar, decidir e comprar um produto.

Por exemplo, um usuário pode ver um anúncio no Instagram, buscar mais informações no blog da empresa, ir até uma loja física da marca e finalizar a compra no e-commerce.

Com o digital, as empresas podem mapear essa jornada e criar conteúdos para cada momento de compras.

Fazendo com que o consumidor chegue ao momento da venda com mais certeza de que a solução é realmente a que ele procura.

Análise e mensuração de resultados

A mensuração dos resultados das estratégias de marketing, tanto no modelo tradicional quanto no digital, é um dos fatores de maior importância.

Afinal, é preciso saber o que está ou não funcionando.

No meio digital, tudo o que é feito pode — e deve — ser analisado.

A internet permite que as marcas rastreiem todos os passos que os usuários deram ao navegar nos diferentes canais.

Desde a abertura de um e-mail às páginas visitadas em um blog, até o abandono de carrinho em uma tentativa de compra no e-commerce, tudo é registrado e pode ser analisado.

Tanto é que existem ferramentas e softwares próprios para gerarem dados e relatórios de desempenho, como Facebook Ads, Google Ads e Google Analytics.

Contudo, é muito importante ter clareza quanto aos dados que devem ser analisados.

Como existem milhões de dados disponíveis, tentar analisar tudo é praticamente impossível e seria prejudicial ao empreendimento.

O ideal é definir métricas e KPIs que estejam de encontro com os objetivos e as necessidades atuais do negócio.

Como fazer marketing digital na prática em 4 passos

Como existem muitas técnicas que devem ser empregadas para que o marketing digital seja colocado em prática e cada empresa tem suas necessidades e particularidades, é preciso compreender que não existe uma fórmula que servirá para todos os negócios. 

Contudo, existem algumas boas práticas que direcionam a estratégia até que cada negócio entenda qual a melhor forma de fazer o marketing nos canais online. 

Veja a seguir o passo a passo dessas boas práticas!

1. Comece pelo planejamento

Assim como em todos os aspectos do mundo dos negócios, o primeiro passo é fazer o planejamento estratégico.

Logo, é preciso estabelecer o objetivo ou os objetivos.

Existem muitos objetivos possíveis, sendo que a sua definição é de acordo com a necessidade do negócio.

E mais, existem objetivos que são mais facilmente mensuráveis do que outros, como aumentar o market share em x%.

Isso porque um objetivo como aumentar o fortalecimento de marca é mais complicado de ser analisado.

Para o objetivo, é muito válido utilizar a técnica SMART, que em uma tradução das siglas, seria: específico, mensurável, alcançável, realista e temporal.

Com isso em mente, confira agora alguns dos principais objetivos utilizados em uma estratégia de marketing!

Aumentar as vendas

Esse é um dos objetivos mais utilizados porque busca aumentar a lucratividade da empresa de forma mais direta.

Mesmo que o produto ou serviço oferecido seja de alta qualidade, é preciso contar com os esforços de marketing para que as vendas sejam ainda mais otimizadas.

Nesse momento é interessante lembrar do Mix de Marketing, onde os 4 elementos são fundamentais: preço, praça, produto e promoção.

Para o objetivo poder ser alcançado as vendas realizadas em um determinado período devem ser maiores do que a receita investida com o marketing.

Fidelizar clientes

Por mais que conquistar novos clientes seja uma demanda de quase todos os negócios, fidelizar os clientes já existentes é uma necessidade que não pode ser ignorada.

É muito comum ouvir de especialistas que conquistar um novo cliente é mais caro do que manter um cliente já ativo, correto?

Além de ser mais em conta, manter um cliente já existente comprando ao longo do tempo demanda menos esforços.

O cliente já testou o produto e já tem confiança em fazer negócio com a empresa, se a experiência primária foi positiva.

Outro ponto forte desse objetivo é que o empreendedor já tem bastante conhecimento sobre as características, necessidades, desejos e demandas desse consumidor, tornando todo o processo de revenda mais facilitado.

Aumentar a visibilidade da marca

Tornar a empresa e seus produtos conhecidos é uma premissa para que as vendas possam ocorrer, o que é chamado de publicidade e propaganda.

Por meio de uma série de práticas que envolvem uma pesquisa de mercado, definição da persona do negócio e trabalho constante de divulgação online é possível expandir o alcance da marca e se tornar cada vez mais conhecido pelos consumidores.

Mas, como já sabemos, a segmentação do público-alvo é fundamental.

Portanto, o ideal é ganhar mais conhecimento de marca com um público que seja realmente um comprador em potencial.

Gerenciar uma marca

Um conceito já bastante conhecido no mundo do marketing digital é o de branding, que nada mais é do que gerenciamento de marca.

Com um conjunto de técnicas e práticas, é possível fazer com que a marca fortaleça sua presença e seja cada vez melhor percebida pelos clientes.

É o branding ou gerenciamento de marca que fará com que as pessoas comprem pelo que essa empresa representa e não somente pelo que ela comercializa.

Construir boas relações

O relacionamento com os consumidores, considerando a experiência que eles têm com uma marca, também é um objetivo de grande valia.

Que pode ser alcançado com estratégias de marketing digital.

Como já falamos de funil de vendas e de jornada de compras em um tópico anterior, é importante lembrar que todo esse processo deve ser pensado na forma como a empresa e os clientes estão se relacionando.

É preciso identificar os problemas dos potenciais clientes para construir um diálogo que aproxime esses consumidores.

Assim, com ações eficientes de produção de conteúdos, newsletters, materiais educativos e relevantes fazem com que os consumidores se sintam valiosos e passem a ter mais proximidade com essa empresa que os está ajudando.

Educar o mercado

Principalmente para os negócios mais complexos, que tendem a ser no modelo B2B, educar o mercado se torna uma necessidade.

Afinal, é comum nesse modelo que exista mais de um tomador de decisão, fazendo com que a venda aconteça em etapas mais elaboradas e complexas.

Os negócios que trabalham com sistemas de TI ou softwares, por exemplo, também demandam por um mercado muito mais educado.

Uma vez que a solução que eles oferecem é complexa e precisa de mais entendimento do público.

Para esse objetivo, o inbound marketing e o marketing de conteúdo são fundamentais, porque trabalham com conteúdos explicativos que podem passar por webinars, e-books, pesquisas e muito mais.

Materiais ricos como esses costumam se tornar uma referência com o público que passa a entender mais sobre a empresa, o mercado e a solução que está sendo ofertado.

Quando abordados pelos vendedores, esses clientes estarão muito mais propensos a fecharem negócios.

Engajar colaboradores

Não é apenas para melhorar o desempenho da empresa no mercado consumidor ou fornecedor que o marketing digital é eficiente.

Os colaboradores ou público interno também podem ser o foco do marketing digital.

Tanto é, que existem técnicas como o endomarketing, que busca pelo engajamento dos colaboradores para que se identifiquem cada vez mais com os valores, metas e propósito do empreendimento.

Algumas formas, podem ser a de premiação quando metas são atingidas, eventos internos, gamificação e muitas outras.

O engajamento dos colaboradores é uma meta importante porque eles são os representantes da empresa e o seu trabalho é que faz com o negócio funcione de maneira mais otimizada.

2. Construa sua persona

Já abordamos o que é persona, mas ainda assim não seria possível deixar de falar novamente sobre ela.

Isso porque esse personagem semifictício do comprador ideal da empresa (com base em dados reais), é fundamental para a implementação de uma estratégia de sucesso.

Com a persona definida, é possível:

  • estabelecer o melhor conteúdo que será criado para alcançar o objetivo;
  • estabelecer o tom e o estilo do conteúdo;
  • auxiliar na criação das estratégias de marketing para um público segmentado;
  • conhecer as motivações, necessidades, desejos e anseios que fazem com que os consumidores comprem da marca.

3. Defina as melhores estratégias

De igual importância é saber desde os primeiros momentos quais serão as estratégias de marketing digitais utilizadas na empresa.

Elas são definidas de acordo com os objetivos e a persona da empresa.

Afinal, com base no objetivo e na persona ficará mais fácil compreender se é melhor investir em marketing de conteúdo e redes sociais ou em SEO e e-mail marketing.

Por mais que todas as estratégias sejam de grande valia para qualquer negócio, é muito comum que os responsáveis por gerir o marketing não tenham verba ou pessoal suficientes para trabalhar com todas.

Assim sendo, o ideal é planejar quais das estratégias melhor atenderão às necessidades da empresa.

Mais adiante, temos um tópico explicando mais sobre cada uma das estratégias utilizadas no mercado.

4. Determine os canais a serem utilizados

São muitos os canais disponíveis para uma estratégia de marketing digital e assim como as estratégias, pode não ser viável utilizar todos.

Assim como a estratégia, conhecer a persona e definir os objetivos auxiliará na escolha dos melhores canais.

Como canais, estamos nos referindo aos meios que as empresas têm para alcançar possíveis clientes. Alguns dos principais canais que podemos citar, temos:

Por mais que possa parecer que não são muitos os canais, é preciso lembrar que dentro de redes sociais, temos muitas possibilidades, como o LinkedIn, YouTube, TikTok, Instagram, WhatsApp etc.

Criar conteúdos que atendam às especificações de cada uma delas pode ser trabalhoso e exige recursos robustos.

As estratégias de e-mail marketing também demandam por esforços e análises constantes e produzir e manter uma newsletter ou disparo de e-mail para nutrir leads também.

Portanto, o ideal é buscar os canais que mais fazem sentido para a empresa, o objetivo e a persona definida.

Principais estratégias de marketing digital

Agora é o momento de conhecer as principais estratégias de marketing digital utilizadas pelas empresas. Dessa forma, ficará mais fácil definir qual a ideal para cada tipo de negócio.

Acompanhe!

Inbound marketing

O inbound marketing é a estratégia que atua para ser encontrada pelos clientes ao invés de ir atrás deles, como formatos mais tradicionais.

Com a utilização de conteúdos relevantes, o inbound consegue atrair e converter um público interessado no que a empresa tem a oferecer.

Para que isso ocorra, é preciso ter um bom conhecimento sobre a persona do negócio.

Isso porque o inbound demanda por dados e informações que demonstrem quais são as necessidades, os desejos e problemas que os potenciais clientes têm.

Ela é indispensável para que os clientes em potencial percorram o funil de vendas e cheguem até o momento de finalizar a compra ou contratar uma solução.

Marketing de conteúdo

Essa é uma estratégia com foco na produção e distribuição de conteúdos interessantes e relevantes para a audiência da empresa.

Nesse modelo, o objetivo de venda não é explícito porque a ideia é criar materiais que ajudem os clientes a resolverem seus problemas.

Não que a venda não seja um dos objetivos, mas ela acontece de maneira mais natural.

Já que com os conteúdos produzidos, os consumidores percebem a marca como uma autoridade no assunto e começam a olhar para a empresa como uma referência em um determinado nicho de atuação.

Assim, como um planejamento estratégico, o marketing de conteúdo auxilia os usuários a resolverem seus problemas para que, quando se decidam por contratar uma solução para esses problemas, se lembrem do negócio que os ajudou até esse momento.

Como é possível perceber, o marketing de conteúdo trabalha com uma venda menos agressiva e pode gerar excelentes resultados para as empresas.

Alguns dos formatos utilizados para o marketing de conteúdo, podemos citar:

  • criação de blog;
  • distribuição de e-book;
  • vídeos;
  • redes sociais;
  • e-mail.

Marketing de relacionamento

O marketing de relacionamento reúne estratégias que permitem a construção e a disseminação da marca com prospecção, fidelização e aumento da autoridade da empresa no seu mercado de atuação.

Com ela, é possível conquistar mais clientes e fazer com que se tornem fãs da empresa, ou seja, clientes fidelizados.

Por meio da entrega de uma boa experiência, o marketing de relacionamento oferece muitas vantagens para os prospects.

Essa estratégia exige oferecer uma experiência única aos clientes, fazendo com que elas percebam um valor na marca que não podem encontrar em nenhuma outra empresa.

Fazendo com que o cliente fique cada vez mais próximo da marca e não tome a decisão de compra com base apenas nos preços praticados. 

Algumas estratégias que permeiam o marketing de relacionamento são:

  • construção da marca;
  • disseminação da marca;
  • fidelização de clientes;
  • criação de autoridade no mercado;
  • contato com a persona em diferentes canais;
  • comunicação com base no IPC (perfil do cliente ideal);
  • automação de marketing.

Marketing de produto

Como o nome mesmo diz, essa estratégia tem seu foco na introdução e divulgação de um determinado produto no mercado.

É muito comum quando uma empresa está lançando um novo produto e precisa se conectar com o público ideal para consumir esse lançamento.

Ela tem como objetivo conectar um público segmentado com o produto, gerando uma conexão forte entre eles.

Algumas das principais funções do marketing de produto são:

  • gerar um posicionamento do produto;
  • criar uma mensagem da marca em cima desse produto;
  • gerar e desenvolver um diferencial competitivo;
  • alinhar os times de vendas e marketing.

Redes sociais

As redes sociais são um dos lugares mais eficientes para gerar comunicação, influência e diálogo entre empresa e consumidor.

Ter uma presença consolidada nas redes sociais já é fator determinante para qualquer empreendimento.

É uma excelente forma de fazer com que os potenciais clientes se identifiquem com a empresa sem necessariamente considerar preço e produto, mas sim, pelos valores e ideais que a marca carrega em si.

Além disso, as redes sociais possibilitam o fortalecimento da marca e criação de um branding otimizado, mas também auxiliam muito nas conversões e na geração de tráfego, que se reverterá no aumento do faturamento da empresa. 

Mas, para que a estratégia de rede sociais funcione, é preciso:

  • estabelecer objetivos e metas;
  • definir as melhores redes para cada negócio;
  • criar um perfil otimizado;
  • fazer benchmarking;
  • saber gerenciar corretamente;
  • analisar os resultados.

E-mail marketing

O e-mail marketing é uma excelente maneira de nutrir leads, porque atua com o disparo de e-mails estratégicos para uma base de contatos.

É possível se valer dessa estratégia para fortalecer a marca, aumentar as vendas, melhorar a comunicação com os consumidores e muito mais.

Um dos pontos mais fortes do e-mail marketing é que a empresa passa a se comunicar com seus prospects utilizando um canal de comunicação direto.

Isso porque essa lista de e-mail deve ser criada com os próprios usuários fornecendo seus dados de contato.

Quando um usuário encontra uma landing page, por exemplo, contendo um conteúdo relevante para ele, ele deixará um dado de contato, como o e-mail.

Ou seja, ele mesmo forneceu e permitiu que a empresa se comunique com ele.

A partir daí, a empresa passa a enviar e-mail que sejam condizentes com suas necessidades, estágio do funil de vendas e momento da jornada de compra, para conduzir esse usuário até o momento de fechar negócio.

Existem, portanto, diferentes tipos de e-mail que devem ser contemplados ao longo da relação entre empresa e cliente, de acordo com objetivos e personas estipulados. 

Alguns dos tipos de e-mail marketing são:

  • e-mail informacional: aquele e-mail que leva informações relevantes condizentes com os interesses da base de contatos;
  • e-mails de nutrição: e-mails que buscam influenciar o contato a tomar uma decisão;
  • e-mails educacionais: são os e-mails com conteúdos que ajudam os potenciais clientes a resolverem seus problemas;
  • e-mails transacionais: são e-mails com objetivo de realizar uma conversão de vendas, geralmente com promoções, descontos, cupons e muito mais;
  • newsletter: é um e-mail que auxilia o leitor a se lembrar da empresa, já que oferece uma espécie de jornal com novidades, insights, tendências, dados do mercado, entre outros.

Principais técnicas de marketing digital

Existem diversas técnicas de marketing digital que podem ser utilizadas para diferentes finalidades.

Por mais que elas se relacionem e possam ser usadas de maneira integrada, onde uma auxilia no desempenho de outra, muitas vezes não é possível implementar todas simultaneamente.

Portanto, o ideal é conhecer as principais técnicas de marketing digital para entender qual a ideal para o momento atual da empresa.

Acompanhe!

SEO

O SEO é o conjunto de práticas que visam otimizar sites e blogs para terem um bom ranqueamento nas plataformas de busca, como o Google.

A sigla vem de Search Engine Optimization ou otimização para motores de busca.

Ele é muito importante para uma estratégia de marketing porque o algoritmo do Google funciona, de modo geral, para entregar o melhor conteúdo para uma pesquisa do usuário. 

Como existem milhares de sites online, é preciso garantir que os usuários encontrem exatamente aquilo que estão procurando quando fazem uma pesquisa em algum motor de busca.

Mídia paga

A mídia paga é uma estratégia utilizada para potencializar o alcance das ações de marketing digital de um negócio.

Existem muitos formatos que podem ser potencializados com a mídia paga, como banners, textos, links, posts, imagens, publicações em redes sociais, Reels e muito mais.

O responsável pela mídia paga pode escolher entre diferentes plataformas para fazer o impulsionamento e veicular os anúncios pagos.

Além disso, a mídia paga permite que seja estabelecido um período para esse impulsionamento e o valor que será gasto com a campanha de mídia paga.

Uma grande vantagem da mídia paga é a possibilidade de analisar os resultados das campanhas com muito mais precisão do que as estratégias orgânicas.

Nesse modelo, os resultados conquistados tendem a ser proporcionais ao valor investido, fazendo com que o alcance, por exemplo, seja maior quando o valor investido for maior.

Existem diferentes formatos de mídia paga que podem ser usados para diferentes plataformas.

Alguns dos principais são:

  • motor de busca: mídia paga para motores como o Google, Bing, Yahoo etc.;
  • redes sociais: anúncios pagos para redes, como Instagram, YouTube, TikTok, LinkedIn, Facebook e muito mais.

Automação de marketing

A automação de marketing é o uso de ferramentas tecnológicas para aumentar a eficiência e escalabilidade das estratégias de marketing ao implementar a automatização de processos e ações.

Qualquer ação automatizada com o uso de tecnologia no marketing, como disparo de e-mail, agendamento de posts de redes sociais, uso de chatbots, entre outras, pode ser considerada automação de marketing.

É importante entender que não são as ações específicas e pontuais que podem ser consideradas automação de marketing, mas sim, a automação de todo um processo, com ações que permitem a realização de uma tarefa após a outra sem a necessidade de uma intervenção manual.

É muito comum associar a automação com o inbound marketing, para que o processo de geração de leads conduza os leads pelo funil de vendas da empresa.

Com a automação, o setor de marketing consegue:

  • escalonar o negócio;
  • aumentar a eficiência do funil de vendas;
  • aumentar a produtividade do time de marketing;
  • integrar os times de vendas e marketing;
  • diminuir as falhas;
  • reduzir o CAC;
  • aumentar o ticket médio;
  • reduzir o ciclo de vendas;
  • aumentar a retenção dos clientes.

Geração de leads

A geração de leads é uma ação fundamental para a estratégia completa de inbound marketing.

É preciso implementar táticas eficientes para gerar mais tráfego e atrair mais leads para o funil de vendas da empresa.

É o primeiro momento para o inbound começar a conquistar mais leads e poder nutri-los até que se tornem qualificados para o time de vendas.

Um lead é gerado quando um visitante ou usuário fornece dados pessoais e informações de contato (e-mail, nome, telefone, profissão etc.).

Para que o visitante se sinta confortável em fornecer esses dados valiosos, é preciso oferecer uma oferta de valor, como um e-book, um guia, template, planilha, checklist. 

Para começar a captação de leads, é fundamental:

  • definir uma persona;
  • produzir materiais ricos;
  • usar landing page e outras ferramentas de captação;
  • definir uma estratégia de promoção;

CRO

Conversion Rate Optimization ou Otimização de Conversão, em português, é uma estratégia que reúne diversas práticas para aumentar a conversão de um site ou página online.

O principal objetivo é otimizar o tráfego que essa página online já tem, sem necessidade de atrair mais visitantes.

De modo geral, o objetivo do CRO é fazer com que as pessoas que acessam a página online tenham mais interesse nas ofertas e convertam mais do que já estão convertendo.

Principais métricas de marketing digital

Uma das grandes vantagens do marketing digital, é justamente a capacidade de analisar os resultados, com precisão, de todas as ações realizadas.

Isso é muito vantajoso, porque o time de marketing pode compreender exatamente o que está funcionando e o que precisa ser ajustado para que o resultado esperado seja atingido.

Veja agora quais são as principais métricas de marketing digital que devem ser analisadas.

ROI

Essa sigla em inglês, Return on Investment, ou retorno sobre o investimento, mostra aos gestores o quanto a empresa está ganhando em cada investimento realizado.

Para que o ROI seja calculado da forma certa, é preciso incluir no cálculo tudo o que foi feito para alcançar o objetivo estabelecido.

Para tanto, é preciso incluir: campanhas de marketing, treinamentos, ferramentas adquiridas, estratégias de gestão e muito mais. 

O ROI pode ser calculada em diferentes áreas, como:

  • ROI de marketing de conteúdo;
  • ROI de e-mail marketing;
  • ROI de mídias sociais;
  • ROI do Google Ads;
  • ROI do blog;
  • ROI de SEO.

CAC

Custo de Aquisição de Clientes (CAC) é o total de investimentos necessários para conquistar um novo cliente.

É uma métrica muito atribuída ao setor de marketing e vendas, porque são os responsáveis por captar leads, qualificá-los e convertê-los em clientes efetivos.

O CAC é uma métrica que deve ser analisada todos os meses, mas também é preciso considerar algumas questões, como a sazonalidade do negócio.

CPC

Custo por Clique (CPC) é uma métrica relacionada aos anúncios pagos, onde o valor cobrado é proporcional ao número de cliques realizados no anúncio.

Ou seja, o anunciante paga pelo número de usuários que clicaram no anúncio, como os cliques em um anúncio para direcionar esse usuário até o site dele.

O CPC é muito útil para os gestores poderem saber os resultados exatos do anúncio, na compra de palavras-chave do Google Ads, por exemplo.

A fórmula do CPC também é bastante simples de ser utilizada, sendo:

CPC= custo total / número de cliques

CPA

O CPA, Custo por Aquisição é uma métrica que indica quando o resultado total da campanha é alcançado.

Isso porque a responsável pelo anúncio só efetua o pagamento quando o objetivo da campanha é atingido.

É uma modelo de baixo risco para quem está anunciando e a métrica indica o resultado da campanha.

O cálculo do CPA é:

CPA = Total investido / Número de conversões

LTV

LifeTime Value (LTV) é uma importante métrica para saber como está a saúde financeira de uma empresa, porque mostra o gasto que os clientes do negócio têm ao longo de todo o seu relacionamento com uma marca.

Ela indica qual é a soma dos valores gastos de um cliente com a empresa, ao longo de um tempo determinado, que é o tempo em que ele se relacionou com a empresa. 

Para calcular essa métrica, é preciso utilizar a seguinte fórmula:

LTV = (ticket médio x média de compras por cliente) x média de tempo de relacionamento

Churn

O churn é a taxa de cancelamento, bem como de abandono, que a base de clientes tem.

Essa é uma importante métrica para mensurar o que faz com que um visitante ou usuário deixe de utilizar um serviço e também pode ser utilizada para entender quais os motivos de um cancelamento de contratação.

O cálculo dessa métrica é feita da seguinte maneira:

Churn = clientes que cancelaram o serviço durante o mês/clientes no início do mês x 100

Número de leads gerados

Essa é uma importante métrica para compreender a estratégia de marketing da empresa porque mostra exatamente o número de novos leads conquistados.

Um dos grandes objetivos do Inbound Marketing é atrair leads para que possam ser nutridos.

CPL

Custo por Lead (CPL) é a métrica que mostra quanto custa a conversão de cada lead.

Afinal, nem todos os usuários que entram no funil de vendas da empresa serão convertidos.

Portanto, é preciso investir na nutrição desses leads e o CPL mostra qual será o custo disso.

Para calcular o Custo por Lead, é preciso utilizar a seguinte métrica:

CPL = investimento total com a campanha / número de leads gerados

Visualização da página

Essa é uma métrica que mostra o número de vezes que um visitante acessou uma página online, como um site ou blog.

Aqui, temos como visualização cada uma das vezes que um usuário acessa, atualiza ou recarrega a página.

Ela é muito importante para mostrar os resultados de SEO e ferramentas acessíveis, como o Google Analytics mostram essa métrica com números atualizados.

Taxa de saída

A taxa de saída mostra qual foi a última página visitada antes de um usuário deixar o site da empresa ou o blog corporativo.

Por mais que qualquer página possa ser uma página de saída, é muito importante para a estratégia mostrar qual delas tem o maior índice de saída, para que os erros sejam corrigidos e o usuário permaneça por mais tempo navegando no site.

O cálculo da taxa de saída é:

Taxa de saída = total de saídas da página / total de pages view.

Como é possível perceber, existem muitas métricas que devem ser analisadas para entender o que está funcionando ou não dentro da estratégia implementada.

Essas métricas devem ser analisadas junto com KPIs.

Isso porque no marketing digital pode ser muito difícil analisar tudo o que está sendo feito, já que existem milhares de dados gerados em uma estratégia robusta.

O ideal é alinhar métricas e KPIs a objetivos específicos.

Principais ferramentas de marketing digital

Agora que já sabemos tudo sobre o marketing digital, é preciso conhecer as principais ferramentas que podem auxiliar na implementação, gestão e análise dos resultados.

Confira a seguir as principais ferramentas utilizadas no mercado.

Google Tag Manager

É uma ferramenta que permite a atualização simplificada e otimizada de códigos de acompanhamento e fragmentos de códigos relacionados, tanto em sites como em aplicativos para smartphones.

Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta gratuita e oferecida pelo Google, quando campanhas são geradas.

O objetivo é coletar os dados das campanhas para os gestores analisarem os relatórios que são gerados.

Google Search Console

Outra ferramenta do Google, o Google Search Console, permite aos webmasters o monitoramento facilitado para gerir e solucionar problemas de servidor, como o carregamento de sites e de segurança.

Facebook Ads

Esse é o sistema de mídia paga do próprio Facebook, voltado para a criação de anúncios em diferentes formatos.

Com forte poder de segmentação, é ideal para potencializar os resultados das redes sociais da marca, como o Instagram.

Rock Studio

A Rock Studio é uma plataforma que auxilia no gerenciamento de conteúdo, criado pela Rock Content.

O objetivo dessa plataforma é ajudar no gerenciamento da estratégia de conteúdo

HubSpot

Uma solução da HubSpot, a plataforma de CRM da empresa que conta com softwares, integração e diversos recursos que permitem a integração de marketing, vendas, atendimento e gestão de conteúdo.

WordPress

Um sistema aberto de gestão de conteúdo, com banco de dados MySQL e baseado em PHP, o WordPress é focado na criação simplificada de páginas online, como sites e blogs.

Canva

Muito útil para a criação de materiais, como e-books, artes gráficas, posts e muito mais, o Canva é uma plataforma de design, com funcionalidades gratuitas e pagas para diferentes dispositivos.

Principais livros sobre marketing digital

Para que você possa aprofundar ainda mais nos conhecimentos sobre marketing digital, separamos a seguir alguns dos principais livros do segmento.

Não deixe de conferir essa lista agora mesmo!

  • Marketing de conteúdo – Rafael Rez
  • Obrigado pelo Marketing – Vitor Peçanha
  • Marketing na Era Digital – Martha Gabriel e Rafael Kiso
  • Os 10 pecados mortais do Marketing – Philip Kotler
  • A Bíblia do Marketing Digital – Claudio Torres
  • Copywriting: O Método Centenário de Escrita Mais Cobiçado do Mercado Americano – Paulo Macedo
  • Marketing 5.0: Tecnologia para a humanidade – Philip Kotler
  • Gatilhos Mentais: O Guia Completo com Estratégias de Negócios e Comunicações Provadas para Você Aplicar – Gustavo Ferreira
  • As Armas da Persuasão 2.0 – Robert Cialdini

Cursos de marketing digital

Para finalizar, é fundamental conhecer alguns dos principais cursos de marketing digital que você pode começar a fazer agora mesmo.

Veja a seguir a lista que separamos para você!

O marketing digital, ou seja, o conjunto de ações que as empresas podem desempenhar nos canais online já é uma necessidade atual do mercado e indispensável para os negócios.

São muitas as vantagens do marketing digital para as empresas que sabem como colocá-lo em prática corretamente.

Contudo, para que a estratégia tenha o efeito esperado, é fundamental contar com um planejamento.

Identificar os canais certos, identificar a persona, definir os canais e a estratégia que melhor atende as necessidades atuais do negócio.

Como existem muitas estratégias e ações, é preciso conhecer as principais que apresentamos neste artigo para aplicá-la da melhor forma.

Conhecer e saber mensurar as métricas é fundamental para entender o que funciona ou o que não está gerando bons resultados.

Com as dicas de livros e cursos ficará muito mais fácil começar a colocar o marketing digital em prática agora mesmo.

Aproveite para acessar nosso canal do YouTube.

Lá você sempre vai encontrar dicas sobre marketing digital, vendas online e empreendedorismo.

Adquira sua Loja Online em Minutos!

Vamos ajudar você a abrir sua loja virtual na Tray agora mesmo.

Preencha as informações abaixo e te ligamos em até 1 minuto.

Em 1 minuto mesmo! Preencha aqui que nós ligamos para você

Loja Virtual + Cursos por R$ 59!

Descubra como impulsionar suas vendas online com uma loja virtual + cursos por apenas R$ 59! Clique aqui para aproveitar esta oferta incrível.

Você já é um cliente Tray?

Não perca os nossos mais recentes lançamentos e mantenha-se atualizado!

Confira os Planos Tray e abra sua loja virtual

Mensal
Anual

Plano 1

52
Economize R$84
R$ 624 por ano
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 2

94
Economize R$60
R$ 1.128 por ano
em até 6x sem juros

Plano 3

236
Economize R$156
R$ 2.832 por ano
em até 6x sem juros

Plano 4

359
Economize R$480
R$ 4.308 por ano
em até 6x sem juros

Assine e receba novos materiais

⚠ Não se preocupe, você não receberá spams. Além disso, seus dados estão seguros, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados.

Fique por dentro

Parabéns por se inscrever

Quer receber conteúdos e materiais em primeira mão? Acesse nosso grupo gratuitamente!